(21) 3415-9400      redetrauma@redetrauma.com.br    |   

Sarcopenia, quando os músculos murcham

Nossos músculos não servem apenas para manter força e autoestima. Os músculos são nossa base de sustentação. Sem eles, nossa estrutura acaba ruindo. A sarcopenia consiste, justamente, na perda de massa e força muscular, que pode reduzir a expectativa e a qualidade de vida se não for contida a tempo.

Trata-se de um processo de envelhecimento - que começa, mais precisamente, a partir dos 40 anos. Isso acontece porque nosso corpo não foi “programado” ao longo dos séculos para durar mais que 30 anos. Ou seja, a longevidade ainda está sendo processada. Prova disso é que, até pouco tempo atrás, quem sobrevivia até os 60 era chamado de “sexagenário”.

Nos anos 2000 homens e mulheres alcançaram 80 anos de expectativa de vida. Mas sem alcançar a independência individual e física, a velhice se torna um fardo - e os maiores obstáculos são as deficiências cognitiva e muscular. A boa notícia é que dá para prevenir ou reverter esse quadro.

Causas

Há alguns fatores de risco para que a sarcopenia surja antes do previsto e eles podem ser de 1) ordem biológica (alterações hormonais e fisiológicas, doenças debilitantes, alterações dentárias, processos infecciosos ou inflamatórios, traumatismos etc.) ou 2) de ordem comportamental (sedentarismo, tabagismo, alcoolismo, má alimentação etc.). O estilo de vida, de caráter comportamental, pode agravar ou atenuar as condições típicas da idade avançada, de caráter biológico.

Então se o idoso não está acometido por alguma doença típica da idade - desnutrição, distúrbios cardiovasculares, gastrointestinais, renais e neurológicos -, tudo que ele não pode fazer é ficar parado.

Sintomas e diagnóstico

A perda de massa muscular demora a ser percebida, mas geralmente os primeiros sinais são caracterizados pela dificuldade de executar atividades simples e cotidianas (subir escada, trocar lâmpada, carregar malas etc.) e pelo desequilíbrio corporal, que pode levar a incidência de quedas e ao aumento de lesões e fraturas.

O diagnóstico é baseado em tomografias na perna e no abdômen e em densitometria no corpo inteiro para estimar o volume muscular. Ressonância magnética e ultrassom também podem ser solicitados, embora sejam menos comuns.

 

Prevenção e tratamento

Sem prevenção, deve-se chegar aos 80 anos com apenas 50% da massa muscular. Por isso, é tão importante praticar atividades físicas regularmente desde já, especialmente aquelas de resistência, como musculação. Os exercícios aeróbicos (corrida, caminhada, dança) também são importantes na vitalidade e longevidade, mas têm menos impacto na força muscular. Além dos exercícios, também se recomenda uma dieta equilibrada e rica em proteínas. Essa combinação potencializa o ganho ou a manutenção de massa muscular.

Se a sarcopenia já está instalada, o tratamento envolve exercícios de resistência de acordo com as condições físicas do paciente, suplementação de proteína e até o uso de anabolizantes que imitam a função de hormônios tróficos, contribuindo para o aumento da massa muscular.

Fonte: Medical Site

10 de Setembro de 2020