(21) 3415-9400      redetrauma@redetrauma.com.br    |   

O que é o esporão do calcâneo?

Calcâneo é o maior osso do pé humano, o que dá forma ao calcanhar e está próximo ao tornozelo. Sua principal função é redistribuir parte do peso corporal, especialmente durante as atividades físicas. Por isso sua estrutura é formada por uma camada espessa de células de queratinas mais uma almofada de tecido gorduroso para dificultar a desidratação e amortecer o impacto.

O esporão do calcâneo, também chamado "entesopatia de calcâneo" ou apenas "esporão", é o crescimento anormal de um segmento do osso do calcanhar, causado por microtraumatismos na região - bastante comuns em corridas, jogos de futebol e outras atividades que demandam bastante dos pés.

Fatores de risco

Os fatores de risco para o desenvolvimento dessa protuberância óssea incluem: idade mínima de 40 anos; obesidade e sobrepeso; variações anatômicas na curvatura dos pés (pés cavos ou pés chatos); má postura; uso de sapatos inadequados; prática de atividades físicas que implicam forte impacto; doenças ortopédicas pré-existentes (fascite plantar, artrite reumatoide, osteoartrite e gota).

Alguns estudos refletem a prevalência do distúrbio em homens e mulheres, outros defendem que mulheres são mais afetadas. Mas há um consenso sobre o problema ser menos comum em crianças e adolescentes.

Sintomas e diagnóstico

Normalmente esse distúrbio ortopédico é assintomático - pelo menos no que diz respeito a sinais externos de inflamação (inchaço, vermelhidão e calor). A principal queixa costuma ser sobre uma dor forte, aguda e penetrante na região do calcanhar, quando pressionado. Vale ressaltar que os sintomas não surgem pelo esporão em si, mas pela inflamação crônica instalada nos tecidos ao redor.

O diagnóstico é baseado no exame clínico e no histórico do paciente, sendo a ressonância magnética bastante útil para descartar a possibilidade de outras doenças com características parecidas, como a fascite plantar, por exemplo.

Tratamento e prevenção

A princípio, o tratamento é clínico e conservador, focado no alívio e no controle dos sintomas. A terapia não medicamentosa inclui repouso, compressas de gelo, elevação do calcanhar, uso de palmilhas ortopédicas de silicone (para proteger a região de possíveis impactos) e até ultrassom, fisioterapia, alongamento e massagens. Já os recursos medicamentosos se baseiam no uso de analgésicos, anti-inflamatórios e corticoides quando não há resposta satisfatória à primeira alternativa. O tratamento cirúrgico é prioritariamente reservado para os casos graves que exigem a remoção do esporão, mas igualmente cogitado apenas quando as outras opções terapêuticas fracassam.

A prevenção é simples e está baseada em adotar o hábito de alongar e aquecer a musculatura antes de praticar exercícios físicos; ao controle do peso corpóreo e a mudanças no estilo de vida. São medidas que podem eliminar os fatores de risco e evitar recidivas para o esporão do calcâneo. 

Fonte: Medical Site

01 de Outubro de 2020