(21) 3415-9400      redetrauma@redetrauma.com.br    |   

Escoliose: entenda o que é e por que acontece esse desvio na coluna

A escoliose é um dos problemas mais comuns que atingem a coluna vertebral. Ela é caracterizada pela curvatura anormal da coluna para um dos lados do corpo, resultando em má postura e dor. Casos leves, onde a curvatura não é tão acentuada, podem não causar grandes impactos no dia a dia do paciente, porém, os casos graves podem limitar consideravelmente a rotina, além de exigirem tratamentos constantes e até mesmo cirurgia.

Fatores de risco para a escoliose

Algumas pessoas são mais suscetíveis ao desvio na coluna, como:

Idade

Os primeiros sinais da escoliose costumam se manifestar principalmente durante a fase mais acentuada de crescimento, que é em torno dos 15 anos de idade.

Sexo

Ambos os sexos podem ser afetados, mas observamos que as mulheres têm maior risco de apresentarem desvios na coluna.

Histórico familiar

Quem possui antecedentes familiares de escoliose está mais suscetível ao desenvolvimento da doença.

Principais tipos de escoliose

Escoliose congênita ou de nascença

Surge desde o nascimento e é causada pela má formação ou divisão das vértebras. É responsável por 10% dos casos de escoliose.

Escoliose neuromuscular

Provocados por alguns problemas neurológicos, como paralisia cerebral, ou musculares, que determinam fraqueza muscular, controle precário dos músculos ou paralisia decorrente de doenças como distrofia muscular, espinha bífida e pólio.

Escoliose idiopática

É a mais comum, representando 80% dos casos de escoliose diagnosticados. Não se sabe ao certo qual é a causa do desvio na coluna, mas diversos fatores podem estar envolvidos, como a hereditariedade. Pode aparecer em crianças, jovens e adultos.

Escoliose degenerativa

Quando há degeneração dos discos e das articulações da coluna vertebral, sendo resultado, em especial, do avanço da idade.

Principais sintomas da escoliose

Em estágios iniciais, a escoliose pode ser difícil de identificar. Conforme a curvatura se acentua, é possível identificar os seguintes sinais:

- Um ombro mais alto que o outro

- Comprimento irregular das pernas

- Dores musculares

- Má postura 

- Coluna encurvada anormalmente para um dos lados

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico da escoliose é feito através da avaliação clínica do médico ortopedista e pela realização de exames de imagem, como a radiografia. O médico, então, analisa a causa, a localização e a gravidade da curvatura para poder prescrever o tratamento mais adequado. No caso das crianças, quanto maior for a curvatura, maior a probabilidade de ela piorar após a fase de crescimento.

Para curvaturas de até 30 graus, o tratamento mais comum é o de fisioterapia e RPG (reeducação postural global). Acima de 30 graus, além da fisioterapia e do RPG, é necessário o uso de coletes.

É possível ainda, que o paciente apresenta um desvio acima de 40 graus, caso que é considerado severo e requer cirurgia.

Fonte: Medical Site