(21) 3415-9400      redetrauma@redetrauma.com.br    |   

14 de novembro - Dia Mundial do Diabetes - Diabetes e a saúde óssea

O Dia Mundial do Diabetes

Celebrado em 14 de novembro desde 1991, o Dia Mundial do Diabetes foi criado pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) junto com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e desde 2006 com a Organização das Nações Unidas (ONU) para conscientizar e alertar o mundo a respeito dos problemas associados à doença. O diabetes mellitus é uma doença crônica que afeta mais de 425 milhões de pessoas em todo mundo e pelo menos 12 milhões no Brasil, elevando o percentual de morbidade e mortalidade. 

Caracterizado pela ausência ou insuficiência de insulina (hormônio que controla a glicose no sangue), o diabetes não permite que a glicose entre nas células e o açúcar acaba sobrando na circulação sangüínea. Por isso, o Dia Mundial do Diabetes também é uma homenagem à data de nascimento do Dr. Frederick Banting - descobridor da insulina em 1921.

Como o diabetes também pode afetar os ossos?

Glicemia alta também é prejudicial ao estado do esqueleto que, neste caso, está mais propenso a fraturas e até quebras - mas não exatamente do jeito que a gente conhece. O diabetes pode enfraquecer os ossos e até lesioná-los, mas não necessariamente provoca sintomas. As dores, as limitações de movimento ou deformações típicas de uma fratura comum, em ambas as versões de diabetes (tipo 1 e tipo 2), sinaliza apenas a possibilidade de mais ossos quebrados no futuro. Até mesmo o teste de densitometria óssea nos diabéticos pode apresentar um resultado normal. Os médicos explicam: não é a densidade do osso, mas a qualidade dele que está sendo afetada. O excesso de açúcar na circulação impede o organismo de construir, reciclar e reformar o arcabouço esquelético.

Tratamento para o fortalecimento dos ossos em caso de diabetes

Mas se a densitometria não deflagra o estrago que a diabetes faz nos ossos, como é possível, então, diagnosticar o problema? Uma possibilidade é recorrer a outros testes, outra é fazer check ups preventivos com frequência. Mas, aliado a isso, é fundamental que o indivíduo tome medidas para solidificar seus ossos apesar da diabetes, como praticar exercício físico regularmente, consumir fontes de cálcio e garantir um aporte de vitamina D. A boa notícia é que já estão em estudo medicamentos que aumentam a densidade óssea de pessoas com osteoporose ao mesmo tempo em que auxiliam a controlar o diabetes tipo 2. O futuro pode ser promissor, mas, até lá, prevenir é sempre a melhor abordagem.

Fonte: Medical Site

14 de Novembro de 2019