(21) 3415-9400      redetrauma@redetrauma.com.br    |   

Sarcopenia, a perda de massa muscular na terceira idade

A diminuição da massa muscular ou massa magra no corpo é parte do processo de envelhecimento - que acontece, mais precisamente, a partir dos 30 anos. Embora natural, essa mudança é uma das responsáveis pela redução na qualidade de vida dos idosos. Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, cerca de 15% dos brasileiros sofrem com a sarcopenia a partir dos 60 anos de idade, chegando a 46% após os 80 anos. A boa notícia é que dá para prevenir e reverter a situação. Vamos descobrir como.

Fatores de risco

A sarcopenia pode ser causada por a) fatores biológicos, como alterações hormonais e fisiológicas, além de enfermidades típicas da velhice, como depressão, alterações dentárias, processos infecciosos ou inflamatórios graves, traumatismos etc ou b) fatores comportamentais, como sedentarismo e má alimentação. O estilo de vida agrava ou atenua as condições características da idade avançada - e vale para a vida toda.

Sintomas e diagnóstico

A perda de massa muscular demora a ser percebida, mas alguns dos primeiros sinais se manifestam como: dificuldade de executar atividades simples e corriqueiras do cotidiano, tipo subir escada, trocar uma lâmpada ou carregar malas; desequilíbrio corporal, especialmente em terrenos mais acidentados, que levam a quedas constantes - outro sintoma da perda muscular avançada. Ou seja, além de comprometer a qualidade de vida, a sarcopenia em estágio avançado aumenta o risco de lesões e fraturas decorrentes dessas quedas.

Para diagnosticá-la, o médico realiza exames de tomografia na perna e no abdômen e de densitometria no corpo inteiro, a fim de estimar o volume muscular. Ressonância magnética e ultrassom também podem ser solicitados, mas são menos usuais.

Prevenção

Sem prevenção, podemos chegar aos 80 anos com apenas 50% da massa muscular que tínhamos na juventude. Para evitar que isso aconteça, deve-se praticar atividades físicas regularmente (no mínimo três vezes por semana), especialmente aquelas que envolvem esforço de resistência, como musculação. Também se recomenda seguir uma dieta equilibrada, com alimentos ricos em proteínas. Estratégias nutricionais combinadas a exercícios físicos de resistência, a princípio, ajudam a potencializar o ganho ou a manutenção de massa muscular (hipertrofia).

Tratamento

Se a sarcopenia já está instalada, o tratamento envolve exercícios de resistência de acordo com as condições físicas do paciente e dieta com suplementação de proteína para recuperar o volume e, principalmente, a força muscular. Em alguns casos mais avançados, o tratamento pode incluir o uso de anabolizantes com acompanhamento médico. A intenção é que esses hormônios sintéticos, que imitam a função de hormônios tróficos em nosso corpo, contribuam para o aumento da massa muscular.

Fonte: Medical Site

12 de Dezembro de 2019